• Rafael Bonfim

20 de novembro, Dia Nacional da Consciência Negra


"Eu sou um homem branco. Não tenho a pele escura. E por isso, não sei o que é ter uma possível ancestralidade conectada à escravidão. Não sei o que é ser erroneamente associado à pobreza, ou criminalidade. Não sei o que é estar entre os que mais morrem por arma de fogo. Não sei o que é por vezes me preocupar com o estado natural do meu cabelo. Não sei o que é ser representado na televisão de forma repetitiva e muitas vezes, estereotipada.


Eu sou um homem branco, sentado em uma cadeira de rodas.


E por isso, eu sei o que é ter associações feitas em relação a mim que não são verdade. Eu sei o que é ter que me provar em dobro, em relação aos outros. Sei o que é representar um estereótipo do inconsciente das pessoas. Sei o que é ser desacreditado. Sei o que significa a frase "esse lugar não é para você". Sei o que é ser generalizado, por conta de um único exemplo, que aconteceu com o "conhecido do primo de um amigo meu". Eu sei o que é ser descriminado.


No dia 20 de novembro, peço licença para levantar a bandeira da consciência negra. Eu não sou negro, mas não posso me conformar que alguém sofra preconceito porque a cor da pele é escura. Isso é tão ridículo quanto o fato de alguém me descriminar, porque eu me locomovo sentado".

Você já sofreu ou presenciou alguma caso de racismo ou discriminação?

Me conte o que aconteceu".

Quer me ouvir?

Contato comercial

Ana Ziviani  + 55 41 9 9228-6800

anaziviani@gmail.com

  • Facebook
  • Instagram

© Copyright -  Todos os direitos reservados